Logo Anatomia Patológica

Sistema Endócrino e Neoplasias

Introdução

           

O sistema endócrino é responsável pela produção e secreção de substâncias químicas indispensáveis a homeostase do corpo humano, os hormônios.  Os hormônios são substâncias biossinalizadoras para órgãos específicos, que são disponibilizados para o resto do corpo por via sanguínea, e atuam por meio da ligação com receptores presentes na superfície das células dos órgãos ou tecidos em que atuam. Ou seja, são compostos que interagem com o resto do corpo regulando a função de determinados órgãos, (como por exemplo, os hormônios estrógenos e progestágenos agindo sobre o sistema reprodutor feminino na regulação do ciclo menstrual).

Os componentes do sistema endócrino são os órgãos e tecidos glandulares produtores de hormônios, como o hipotálamo, a hipófise, a tireoide, o pâncreas, as glândulas suprarrenais, os ovários e testículos e o tecido adiposo.

A regulação de produção e secreção desses hormônios pelos respectivos órgãos é controlada pelo chamado mecanismo de feedback. O mecanismo de feedback responde por meio de um equilíbrio dinâmico, em que “o efeito controla a causa”. No caso do sistema endócrino, o mecanismo regulatório é o de feedback negativo, onde um estímulo desencadeia uma resposta contrária, a fim de reestabelecer o equilíbrio do sistema. Por exemplo, se um determinado hormônio se apresenta com concentração sanguínea aumentada (estímulo), o órgão responsável pela produção desse hormônio reduzirá a produção e secreção do mesmo (resposta contrária), a fim de reestabelecer sua concentração sanguínea normal. A mesma lógica vale para a situação em que o hormônio está em falta no sangue, levando ao órgão aumentar a produção hormonal.

Tumores malignos do sistema endócrino

 Neoplasias da tireoide 

         As neoplasias da tireoide, apesar de serem relativamente incomuns (1,5% de todos os canceres), possuem importância clínica visto que, por sua manifestação mais comum ser o aparecimento de massas ou nódulos palpáveis na região cervical, estes passam a ser indistinguíveis de patologias benignas da tireoide que se apresentam também na forma de massas ou nódulos (como as tireoidites, os bócios multinodulares, cistos benignos ou os adenomas foliculares).

Responsável Técnico:
Dr. Mario Rodrigues Montemor Netto
CRM 17340