Logo Anatomia Patológica

Sistema hemolinfopoiético e suas neoplasias

Introdução

            O sistema hemolinfoipoietico está relacionado com a produção dos elementos figurados do sangue (leucócitos, hemácias e plaquetas). Os leucócitos são as células responsáveis pela defesa e imunidade do organismo, as hemácias tem a função do transporte de oxigênio e as plaquetas estão ligadas ao processo de coagulação do sangue.  Fazem parte deste sistema a medula óssea, os linfonodos, o timo e o baço.

            A medula óssea é um tecido presente no interior dos ossos responsável pela produção de células pluripotentes que, após um processo de diferenciação darão origem as células sanguíneas. Com o passar dos anos, a quantidade de medula óssea nos ossos diminui, sendo que no adulto os principais locais de formação de células sanguíneas são alguns ossos chatos, como o esterno e o ilíaco.(Imagem 1)
           Os linfonodos são estruturas localizadas ao longo dos vasos linfáticos que funcionam de maneira semelhante a um filtro para agentes que possam causar danos ao organismo. A linfa, ao passar pelos linfonodos, é filtrada e microrganismos ou outras partículas ficam retidas nos linfonodos e ali sofrem a ação das células de defesa (linfócitos) presentes nessas estruturas. Quando existe uma infecção por algum patógeno ou até mesmo um processo neoplásico, os linfonodos da região podem aumentar de tamanho devido a proliferação de linfócitos. Os linfonodos são de extrema importância nos casos de câncer, pois pode ocorrer disseminação (metástase) através destas estruturas, o que piora o prognóstico da doença. (Imagem 2)

O timo é um órgão localizado na região do tórax, anterior ao coração. No recém-nascido o timo é muito desenvolvido, devido a sua grande importância no desenvolvimento dos outros órgãos do sistema imune, mas a partir da puberdade esse órgão começa a regredir, chegando a ter tamanho três vezes menor no idoso, quando comparado ao do recém-nascido. A principal função desse órgão é promover o desenvolvimento de linfócitos imaturos provenientes da medula óssea e ainda produz células maduras que irão auxiliar no processo de reconhecimento de estruturas próprias ou desconhecidas do organismo. (Imagem 3)

            O baço é um órgão situado na região esquerda do abdome. É o maior órgão do sistema linfático e além da função imunológica, também é responsável pela destruição de células sanguíneas velhas. Ele é dividido em duas regiões, a polpa branca e a polpa vermelha. Na polpa branca estão os linfócitos em processo de maturação e que posteriormente serão liberados para a corrente sanguínea. A polpa vermelha contém células que identificam e destroem hemácias velhas ou defeituosas.(Imagem 4)

 

Linfomas

 

            Linfomas são neoplasias malignas originadas do crescimento anormal de células do sistema linfático. Os linfomas de dividem em linfomas de Hodgkin e linfomas não Hodgkin, que diferem em diversos aspectos entre si. A manifestação clínica depende da distribuição anatômica da doença e a maioria dos linfomas apresenta linfonodos aumentados indolores. Outros sintomas estão relacionados com acometimento de outras estruturas, como a pele e o cérebro.

Os fatores de risco relacionados aos  tumores não Hodgkin se relacionam com a exposição à radiação e produtos químicos, como inseticidas e herbicidas por exemplo, e a infecções que comprometem o sistema imune, como infecção por HIV e Epstein-Barr. Os fatores de risco para o linfoma de Hodking também incluem infecções que comprometem o sistema imune e talvez ainda exista um componente hereditário que favoreça o desenvolvimento da doença. Os sintomas, além dos linfonodos aumentados, incluem perda de peso, sudorese noturna, febre, prurido e perda de peso.

 

Leucemias

 

            A leucemias é uma neoplasia malignas que se origina na medula óssea e acomete os leucócitos, as células brancas do sangue. Os sintomas da leucemia são causados pelo aumento da quantidade células imaturas na medula, que vão proliferar-se de maneira anormal, impossibilitando a produção normal das outras células sanguíneas. Os sintomas da doença são decorrentes dessa produção anormal de células e podem incluir anemia, infecções recorrentes, sangramentos e manchas arroxeadas na pele. Além destes sintomas, pode haver ainda aumento de linfonodos (ínguas) e dor nos ossos.

            Os fatores de risco para desenvolvimento de leucemia são: exposição a agentes químicos, como o benzeno, exposição à radiação (pacientes que já foram submetidos a radioterapia, por exemplo), doenças genéticas, quimioterapia, tabagismo e doenças hematológicas.

            A leucemia pode ser classificada de acordo com seu tempo de evolução e no tipo de leucócito afetado. Se a doença progredir de maneira rápida, é uma leucemia aguda, já se o tempo de evolução for mais lento, é uma leucemia do tipo crônica. Em relação ao tipo de célula, as leucemias podem afetar as células mieloides ou as células linfoides. A leucemia linfoide aguda é o tipo de leucemia mais comum em crianças, enquanto a leucemia linfoide crônica é rara nessa faixa etária. As leucemias mieloides acometem tanto adultos como crianças. Essa classificação da leucemia é útil para o diagnóstico e tratamento da doença. (Imagem 5)

 

 

Foto ilustrativa do artigo
Responsável Técnico:
Dr. Mario Rodrigues Montemor Netto
CRM 17340