Logo Anatomia Patológica

Câncer de Colo Uterino

Introdução

O útero é um órgão oco, em formato de pera invertida localizado na cavidade da pelve. Suas dimensões são variáveis, atingindo cerca de 6 a 9 cm na mulher adulta. É um órgão sujeito a alterações hormonais, tendo suas dimensões diminuídas após a menopausa. É dividido em três partes: corpo, isto e colo. O colo uterino promove a comunicação entre a cavidade endometrial e a vagina. Existem dois tipos de células no colo uterino: células glandulares e escamosas, localizadas na exocervice e endocervice, respectivamente. A zona de transformação é o local onde esses dois tipos celulares se encontram e é onde a maior parte dos casos de câncer de  útero se desenvolve.

Câncer de colo de útero

O câncer de colo de útero é uma doença com longo de tempo de evolução e está intimamente ligado à infecção pelo papilomavírus humano (HPV), vírus sexualmente transmissível. Antes mesmo de a doença evoluir para uma lesão cancerosa, as alterações celulares pré-malignas já podem ser observadas ao exame citológico (popularmente conhecido como exame de Papanicolau). Essas modificações presentes no exame são classificadas em lesões intraepiteliais escamosas de baixo grau (NIC I) e lesões de alto grau (NIC II e NIC III). A detecção precoce, através da triagem citológica, tem modificado significativamente as taxas de incidência e mortalidade por esse tipo de câncer, podendo até mesmo diminuir em 90% a incidência de câncer cervical invasor, quando há boa cobertura de rastreamento.

O câncer de colo de útero é o terceiro tumor mais frequente na população feminina, ficando atrás apenas dos tumores de mama e colorretal. Segundo estimativas do Instituto Nacional do Câncer (INCA) o número de casos novos no ano de 2014 foi de 15.590

É consenso que a infecção persistente pelo HPV é a principal causa de neoplasia cervical. Estudos indicam a presença de DNA do HPV em mais de 99,7% dos casos. Existem no mínimo 70 tipos geneticamente variados de HPV. Os considerados de alto risco, como por exemplo, os tipos 16 e 18 estão intimamente ligados a carcinogênese de tumores de células escamosas do colo uterino e da região anogenital. Além da infecção pelo HPV existem diversos fatores ambientais, como o tabagismo e alterações hormonais, os quais também exercem influência no desenvolvimento dos cânceres de colo de útero.

 

Como se trata de uma doença de desenvolvimento lento, nas fases iniciais geralmente não existem sintomas, os quais costumam surgir nas fases mais avançadas da doença, fazendo com que ocorram sangramentos vaginais intermitentes ou após as relações sexuais, secreções vaginais, dor abdominal e pélvica, sintomas urinários e intestinais em casos mais avançados.

Foto ilustrativa do artigo
Responsável Técnico:
Dr. Mario Rodrigues Montemor Netto
CRM 17340